Briga pelo Clube Escola continua

Briga pelo Clube Escola continua

No dia 10 de abril, moradores do Tatuapé reuniram-se na padaria Big Bread, para debater a reabertura dos equipamentos que estão em desuso dentro do futuro CEU Carrão/Tatuapé. A assessoria do vereador Caio Miranda Ribeiro, representada por Tomaz Rossi, veio ao bairro para obter mais informações a respeito do espaço de esportes e verificar a possibilidade de devolver parte do clube para quem vive no entorno.

ÓRFÃOS”

Conforme a assessoria, o secretário municipal da Educação, Alexandre Schneider, será informado sobre todo o processo envolvendo esportistas, idosos, crianças e atletas que ficaram “órfãos” com o fechamento do centro esportivo. Frente à mobilização de todos, também será entregue ao secretário a primeira parte de um abaixo-assinado com mais de mil assinaturas obtidas de quase todos os moradores de casas e condomínios próximos, além de comerciantes.

MILHARES DE PESSOAS

Para a moradora Valéria Gadioli, também engajada no processo de reabertura do local, estão sendo buscadas parcerias para que a Prefeitura reconheça a preocupação da comunidade em reconquistar as quadras poliesportivas, quadras de bocha e malha, salas de ginástica, academia de boxe, entre outros equipamentos que ficaram fechados para a realização das obras. Para a assessoria de Miranda, o diálogo com os secretários da Educação e de Esportes poderão ser um facilitador na análise da questão. O entendimento do parlamentar é o de que a paralisação das obras não pode atrapalhar o lazer de milhares de pessoas. Nesse sentido, o pedido aos secretários será para que os terrenos em construção sejam protegidos com tapumes, enquanto as outras áreas servidas de aparatos esportivos fiquem abertas e seguras.

DIÁLOGO

Atualmente, os prédios inacabados estão servindo como proliferadores do mosquito da dengue. Além disso, os espaços fechados por motivo de “falta de segurança” estão se deteriorando. Conforme Valéria, há diversos times interessados em participar do diálogo, assim como escolas e grupos empresariais. “Basta que a Prefeitura assine um termo de cooperação para que possamos oficializar os apoiadores e firmar um acordo em comum”, avisou.

Sérgio Murilo Mendes

Deixe um comentário

*