A Dilma vai falar

Muito bem faria se continuasse calada.

Na semana passada leu e endereçou uma carta a todos os brasileiros e que foi motivo de “chacota”, não só por sua redação confusa e incompreensível, mas, especialmente, porque não há mais argumentos, tudo já foi explicado e comprovado, escrever para quê?

Agora, depois de lhe terem sido concedidas todas as oportunidades de se defender, ela manteve sua defesa às nossas custas, pois o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardoso é membro da Defensoria Pública da União, logo lá está para defender as coisas da União, não para ser advogado particular da Dilma. Deveria ela ter contratado um advogado, a exemplo dos demais “mensaleiros” e “petroleiros”.

Depois disso tudo, ela se coloca agora à frente de sua defesa, devendo falar no Senado em lugar de seu advogado. E já está se preparando.

Disse que vai constranger seus ex-ministros, aqueles que trabalharam para ela. Será que ela vai falar coisas que servirão para alguma coisa, ou só lançará sobre os outros a responsabilidade de seus atos? Seria da maior valia se denunciasse definitivamente o seu mandante mor, aquele a quem ela serviu durante todos estes anos.

De que servirá ela repetir sua cansativa história que é tudo golpe e que ela é vítima, não cometeu crime e que outros presidentes fizeram o mesmo…

Essa história nós conhecemos e não cola, não adianta repetir. Queremos saber a história verdadeira: quem realmente dirigiu o País durante todos esses anos, qual foi o grau de comando do Lula, como ele se portava frente as irregularidades e quais seus aconselhamentos.

Dilma já está condenada e sem retorno e até pode não ser culpada de tudo, pois foi um “pau mandado” mas, como presidente, não pode servir-se a isso e por essa razão deve ser penalizada.

O Lula, senadores e deputados petistas, já sabendo da derrota, que acabará com toda a mamata, resolveram fazer uma cartilha de oito páginas e em quatro línguas para divulgar ao mundo as inverídicas e maldosas conclusões dos petistas, dizendo que tudo não passa de um golpe, visando afastar definitivamente o Lula da disputa política de 2018. Além de denegrir a imagem do País, ainda dão uma lição de “burrice”. Como é possível um golpe quando o processo é dirigido pelo STF, ou seja, pela mais alta corte do País? É o desespero de quem perdeu.

Como estamos em uma democracia, não há como proibir uma divulgação como essa. Logo, mais uma prova de que não é golpe e é uma prova que a liberdade funciona no Brasil, a ponto de um punhado de irresponsáveis escreverem todas essas baboseiras e não haver censura alguma.

Deixe um comentário

*