Adoçante: amigo ou vilão?

Adoçante: amigo ou vilão?

A resposta é “amigo”, mas se a opção for o adoçante 100% natural, sem passar por nenhum processo químico. Oito gotas ou um sachê do produto equivalem a duas colheres de chá de açúcar. Dá para usar à vontade e colocar na lista dos amigos da dieta sim e sem contra-indicações. A versão líquida contém zero calorias a cada 8 gotas.

Ideal para quem não pode ou simplesmente não quer consumir açúcar e nem aditivos químicos, adoçantes naturais a base de extrato de folhas Stevia rebaudiana estão entre as opções que podem ser consumidas sem nenhum risco à saúde. ”As propriedades desse adoçante não são metabolizadas como o açúcar no organismo e, portanto não alteram o nível de glicose no sangue, diz a engenheira de alimentos Fabiane Costacurta.

Para Fabiane o adoçante natural pode ser consumido por qualquer pessoa sem contraindicações em todos os alimentos que utilizaríamos açúcar, em qualquer preparação culinária. Porém, uma alimentação rica em fibras, cereais integrais, vegetais e carnes magras, além de atividade física regular, são os maiores aliados para manter o peso e a glicemia no nível ideal. A engenheira ainda explica que os adoçantes até podem agradar o paladar, porém, o cérebro não interpreta a ingestão como a de um doce. “Extrair da alimentação natural a frutose das frutas, por exemplo, é um dos caminhos mais curtos para saciar a vontade de açúcar e não cometer exageros em doces artificiais” finaliza.

CONFIRA AS DIFERENÇAS
Sucralose: adoçante sintético obtido a partir da cloração da sacarose; Ciclamato: adoçante sintético feito a partir de um derivado do petróleo, o ácido ciclo hexano sulfâmico. Deve ser evitado por hipertensos, já que costuma aparecer na forma sódica, ou seja, combinado com sódio; Sacarina: adoçante artificial também extraída de um derivado do petróleo, o ácido sulfanoilbenzoico. Tem gosto residual amargo; Aspartame: é um edulcorante sintético composto pelos aminoácidos aspartame e fenilalanina. Não é estável quando aquecido, por exemplo, quando utilizado em cafés e chás; Acessulfame-K: é um sal de potássio sintético produzido a partir do ácido acético; Steviosideo: extraído da estévia, único adoçante de origem vegetal produzido em escala industrial. Não sofre alterações quando utilizado em produtos com temperaturas elevadas.

Deixe um comentário

*