Aricanduva:  Viaduto Alberto Badra ganha grafites

Aricanduva: Viaduto Alberto Badra ganha grafites

O terceiro painel do Museu de Arte de Rua (MAR) começou a ser pintado no dia 8 de julho, no Aricanduva. O primeiro mural foi pintado no Tucuruvi, na Zona Norte, e o segundo da série também começou a ser feito em Ermelino Matarazzo.

Segundo o prefeito João Doria, outros cinco pontos da cidade devem receber intervenções do MAR. “Esse é um programa que revigora áreas da cidade através da arte de rua. A partir da semana que vem todos os espaços também estarão iluminados para que as pessoas possam desfrutar à noite da arte.”

O MAR apoia intervenções de grafite em paredes e muros de áreas públicas, com o objetivo de colorir a cidade. Assim como nas intervenções anteriores, o projeto Vertical Street Art, que será realizado no Aricanduva, contará com o apoio da Colorgin, patrocinadora do projeto, que doará as tintas para a execução dos painéis. O prefeito João Doria ressalta a importância para a capital de parcerias com as empresas e se coloca à disposição de outros representantes da iniciativa privada que desejarem contribuir com a cidade.

Trabalho pode ser visto nas colunas do viaduto

Trabalho pode ser visto nas colunas do viaduto

SOBRE O PROJETO MAR

O edital inédito foi lançado em março deste ano, com o anúncio dos oito projetos selecionados em 23 de maio. As propostas foram selecionadas pela Secretaria Municipal de Cultura com a ajuda de especialistas e artistas atuantes em diversas vertentes da arte urbana a partir de um edital elaborado. Ao todo, serão investidos R$ 200 mil em oito projetos.

A seleção foi realizada por meio de uma comissão composta por cinco membros: a artista e grafiteira desde 2002, Ana Carolina Meszaros do Amaral Rêgo, conhecida como Tikka Meszaros; Ciro Ernesto Shunemann, artista, pintor e escultor conhecido como Ciro Schu; Donizete de Souza Lima, artista e arte-educador também conhecido como Bonga; Roberto Carlos Madalena, professor com experiência em projetos do terceiro setor; e Antonio Eleilson Leite, mestre em Estudos Culturais pela Universidade de São Paulo. O grupo avaliou os 23 projetos inscritos, selecionando oito projetos, sendo quatro em cada módulo previsto no edital.

Deixe um comentário

*