Beijo na boca pode transmitir doenças

Beijo na boca pode transmitir doenças

Na cultura ociedental o beijo é o toque dos lábios considerado como gesto de carinho e afeição, que também pode ser dado no rosto como forma de cumprimento. Mas uma das maiores “provas de amor” entre os humanos, não está livre doenças e bactérias. Ele é realizado através da boca, maior cavidade do corpo em contato com o mundo externo e porta de entrada do tubo digestivo. Durante o beijo as pessoas trocam saliva, fluido formado por 99% de água e que contém amilase, enzima digestiva que decompõe o amido contido nos alimentos, sais mineirais e uma gama de micro-organismos.

O cirurgião dentista, Aonio Vieira, explica que, por suas características e funções, a boca é um ninho de bactérias. “Em apenas um mililitro de saliva saltitam 150 milhões de bactérias, muitas delas causadoras de doenças”, revela.

NOS DENTES
A cárie e a piorréia (doença periodontal) têm como fatores causais bactérias que estão presentes na saliva e podem ser transmitidas pelo beijo de boca. Apenas uma grama de placa bacteriana abriga 100 bilhões de micróbios. Em uma pesquisa realizada foi descoberto que 90% dos brasileiros sofrem de algum grau de doença periodontal. Estudos comprovam que a bactéria da cárie e da doença periodontal pode ser transmitida entre casais e que sua infestação está relacionada à maneira em que é realizada a higiene bucal e qualidade da nutrição.

NA BALADA
Atualmente a maioria dos jovens costumam beijar vários parceiros na mesma noite sem saberem o risco que estão correndo, um ato que pode comprometer seriamente a saúde. Um estudo publicado no British Medical Journal (Reino Unido) envolveu a avaliação de 144 adolescentes e a definição de parceiros múltiplos foi de sete em duas semanas mostrando que esta é uma tendência mundial entre os jovens.

Segundo um estudo feito por uma equipe de médicos australianos, o beijo na boca em muitos parceiros permite a transmissão da bactéria meningocócica aumentando o risco de adolescentes contraírem meningite em quatro vezes. A meningite meningocócica é uma doença que pode matar, trata-se de uma inflamação das membranas que envolvem o cérebro, as meninges, e pode levar a septicemia, que é a intoxicação da corrente sanguínea.

DOENÇAS
O Herpes Labial é outra infecção que se dá através do contato direto com lesões infectadas pelo vírus. Não existe cura para este tipo de doença, somente o tratamento que visa diminuir a frequência com que o vírus se manifesta e melhorar a sintomatologia.

O HPV é um vírus que pode afetar a mucosa bucal, provocando uma lesão que parece uma verruga esbranquiçada. Essa lesão é removida por meio de cirurgia.

Outro estudo realizado nos Estados Unidos diz “Beijo na Boca pode transmitir Hepatite C”. Os pesquisadores afirmam ter encontrado traços do vírus na saliva das pessoas com hepatite C, e que a saliva contaminada pode transmitir o vírus durante o beijo de língua. Os cientistas, que apresentaram este trabalho no Intercience Conference on Antimicrobial Agents em Chicago, disseram que pessoas com problemas na gengiva podem correr mais riscos. A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que existam cerca de 170 milhões de portadores do vírus da hepatite C no mundo, entre esses, milhões seriam brasileiros.

Através do beijo de língua, pode-se contrair também: gripe, monucleose, citomegalovírus, entre outras.

HIGIENE BUCAL E CUIDADOS
O especialista alerta que é necessário evitar a troca de parceiros para que não haja o risco de se contrair doenças. “Beijar é muito bom e gostoso desde que sem promiscuidade, para que você não corra o risco de se contaminar. Evite a troca frequente de parceiros, tenha sempre uma boa higiene bucal e visite um dentista a cada 6 meses”.

Deixe um comentário

*