CDC Tatuapé – Na expectativa pelo mutirão

CDC Tatuapé – Na expectativa pelo mutirão

O processo de criação do CDC Tatuapé dentro do Centro Esportivo Brigadeiro Eduardo Gomes e ao lado das obras do futuro Território CEU Carrão/Tatuapé está quase completo. As secretarias de Obras, Educação e Esportes já se reuniram e agora estão elaborando o documento que será assinado pelos secretários. Após a formalização do acordo, poderá ser iniciada a limpeza da área, inclusive convidando a todos os interessados em participar do mutirão.

Por outro lado, os representantes de clubes de futebol da Zona Leste estão praticamente prontos para anunciar os responsáveis pela gestão do novo CDC. Para isso, basta que seja concluída a criação da associação de moradores e realizada a eleição para estabelecer a formação da diretoria, secretários, tesoureiro e conselheiros.

“Secretarias vão assinar documento que formalizará o acordo de autorização para o uso da área”

Durante a continuidade do processo, os coordenadores do grupo em prol do CDC tentam organizar um encontro com o vereador Caio Miranda Carneiro, que acompanha a mobilização dos moradores desde o início do movimento, representado por Thomás Rossi e depois por Gustavo Dobner. Ao mesmo tempo, todos os participantes das reuniões, além dos moradores do Tatuapé, de um modo geral, vivem a expectativa da data de autorização para poda do mato, recuperação do asfalto, manutenção dos campos, vestiário e aparelho de ginástica. Isso porque a maioria colocou-se à disposição para ajudar nos cuidados dentro das possibilidades de cada um.

Novos tapumes serão colocados no terreno para que pessoas não entrem no espaço destinado às obras

Novos tapumes serão colocados no terreno para que pessoas não entrem no espaço destinado às obras

CEU FICARÁ SEPARADO

 

As obras do Território CEU e o espaço do futuro CDC vão ficar separadas por tapumes. Por enquanto, as construções que haviam sido iniciadas estão suspensas, apesar do direcionamento de verbas de aproximadamente R$ 40 milhões. Enquanto o projeto não é retomado, é importante entender o que a gestão anterior pretendia, pois a administração de João Doria terá de dar anuência ao plano antes de continuar.

Parte da área do centro esportivo receberia três prédios principais. O primeiro, da área da educação, abrangeria a criação de um Centro Municipal de Educação Infantil Integrada (Cemei), que engloba creche e educação infantil na mesma escola, possibilitando a educação integrada da criança em toda a primeira infância, de 0 a 5 anos e 11 meses (previsão de 508 crianças). O segundo, no âmbito cultural previa a instalação de biblioteca, cine teatro, com capacidade para 250 pessoas, salas de artes, sala de música, estúdio de gravação e oficinal digital. Já o terceiro, voltado ao esporte, teria piscina semiolímpica aquecida, quadra poliesportiva, salas de atividades (ginástica, dança, capoeira, artes marciais e afins) e vestiários.

A expectativa da gestão anterior era a de usar o terreno também para criar a Universidade Aberta do Brasil (UAB), do Pronatec e um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). O espaço contaria com salas de aula e laboratórios.

Deixe um comentário

*