Crimes – Saem dados oficiais do Tatuapé

Crimes – Saem dados oficiais do Tatuapé

Na última semana, a Secretaria de Segurança Pública divulgou os índices de junho relativos à criminalidade no Tatuapé. A partir dos números, esta Gazeta fez um comparativo com o mesmo mês do ano passado na região pertencente à jurisdição do 30º DP – Tatuapé e da 1ª Cia. do 8º Batalhão da PM.

Na área, é possível destacar, por exemplo, que em diversos casos não foram registrados boletins de ocorrência. São eles: homicídio doloso, homicídio doloso por acidente de trânsito, homicídio culposo de uma maneira geral e tentativa de homicídio.

Quando comparadas outras situações, os índices também são positivos. Os latrocínios permaneceram em zero nos dois últimos anos do mesmo mês. O mesmo aconteceu com os casos de roubo a banco e estupro.

Os registros mudam a partir dos roubos de uma forma geral. Em 2017, foram 86, enquanto em 2016 os números chegaram a 102. Quando o tema é roubo de veículo, os números apontam para 15 este ano e 30 no ano anterior. Os dados relativos a roubo de carga foram os seguintes: três em 2017, frente a dois em 2016.

Os problemas passam a aumentar no caso dos furtos de uma maneira geral, pois em 2017 os índices chegaram a 195, enquanto no ano passado os registros alcançaram 226 situações. Ou seja, o patamar manteve-se elevado, apesar da queda. Já os furtos de veículos foram 73 este ano e 59 em 2016, verificando-se uma alta expressiva.

PARQUE SÃO JORGE

A área do Parque São Jorge, pertencente ao 52º DP e à 2ª Cia. do 51º Batalhão da PM, também conseguiu zerar os índices relativos aos homicídios dolosos, culposos e de uma maneira geral, ainda comparando junho. O mesmo ocorreu com os registros de latrocínios.

Os casos de estupro foram zerados este ano, sendo que em 2016 um único registro foi divulgado. Com relação aos roubos no geral, os boletins chegaram a 47 em 2017, frente a 65 de 2016, gerando uma queda nos índices. Os roubos de veículos chegaram a oito casos, enquanto que no ano passado foram anotadas sete situações.

Os roubos a bancos, outra grande preocupação dos moradores, ficaram em zero nos dois anos. Diferente desses números, os roubos de carga apareceram nos índices com um boletim esse ano, contra cinco do ano anterior. Com relação aos furtos gerais, a Secretaria apresentou 128 casos em 2017, contra 150 em 2016, mostrando um pequeno declínio. Por fim, os furtos de veículos mantiveram-se praticamente estáveis, com 22 registros este ano e 25 no ano passado.

Deixe um comentário

*