CRIMINALIDADE – Capitão apresenta números

CRIMINALIDADE – Capitão apresenta números

No dia 13 de setembro, o Conseg do Parque São Jorge se reuniu na Unicid, Rua Cesário Galeno, 448, para discutir problemas relacionados à segurança, entre outros temas. Na oportunidade, o comandante da 2ª Cia. do 51º Batalhão da PM, capitão Edson Serra, apresentou um panorama sobre os índices de criminalidade na região e também mostrou um vídeo institucional sobre as áreas de atendimento da Polícia Militar, desde o Corpo de Bombeiros, passando pela Força Tática, Choque, até chegar à formação de oficiais.

NÚMEROS

O capitão mostrou números de 1º a 31 de agosto, fazendo uma comparação entre 2015 e 2016. No caso dos homicídios, tanto as ocorrências do ano passado, quanto as desse ano foram iguais: zero. Já com relação aos furtos outros, ouve uma queda, de 140 para 132. O mesmo aconteceu com os roubos outros que registraram 62 situações em 2015 e 52 agora. Os furtos de veículos, um dos problemas mais graves na região, também decaíram de 45 para 29 ao serem confrontados no mês da avaliação.

ROUBOS

Quanto aos roubos de veículos, a queda também foi grande, de 18 para 12. Sobre os dados de roubos de cargas, o comandante revelou terem sido registrados três no ano passado e cinco nesse. Os boletins de ocorrência de casos de estupro mantiveram-se iguais, um em 2015 e um em 2016, enquanto os roubos a bancos ficaram zerados.

PRODUTIVIDADE

Serra também abordou o tema da produtividade. Nesse ponto ele afirmou, usando o mesmo comparativo, que os flagrantes subiram de 12 para 14, enquanto os condenados capturados diminuíram de quatro para um. No quesito apreensão de armas de fogo/simulacro, foram registradas uma no ano passado e uma nesse ano. Já as armas brancas ficaram no zero. A quantidade de pessoas abordadas subiu de 2.183 para 5.269. No que diz respeito às motos apreendidas, os números tiveram declínio de cinco para zero. Dados relacionados ao Auto de Infração de Trânsito e à Autuação de Infração subiram de 327 para 495.

OPERAÇÕES

O comandante também fez questão de destacar a manutenção da Comissão de Promoção de Praças (CPP) em locais de maior incidência de crimes contra o patrimônio, “Operação Cavalo de Tróia” – com apreensão de veículos e drogas, Dejem (Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Militar), “Operação Unicid” contra os “Pancadões”, “Operação Radar” e “Operação Missão do Dia”, com minibloqueios e pontos de estacionamento das viaturas.

ÍNDICES MENORES

Voltando à questão dos números, para finalizar, o capitão frisou que nem sempre eles são consistentes, pois acontece de muitas vítimas de áreas não pertencentes à 2ª Cia. registrarem seus boletins naquela região. “Isso faz com que os índices sejam ainda menores quando se observa o documento divulgado pela Secretaria de Segurança Pública”, comemorou.

Deixe um comentário

*