Especialista em medicina do sono dá dicas para vestibulandos

Especialista em medicina do sono dá dicas para vestibulandos

A época de vestibulares chegou e com ela uma série de preocupações, anseios, expectativas e sonhos, afinal, estamos falando do futuro profissional de uma pessoa. A preocupação com as provas, a pressão da família e a escolha da carreira, são preocupações ativas e pertinentes dos jovens. E com tantas coisas assim povoando a mente, é muito comum ouvirmos queixas de insônia e noites maldormidas dos vestibulandos. Mas, afinal, será o sono assim, um momento tão importante da rotina de um estudante?

Segundo Ângela Beatriz, especialista em medicina do sono, uma noite bem dormida é vital para o ser humano e faz toda a diferença para aqueles que estudam. É o momento de recuperação das forças físicas e mentais, da absorção de todo o conteúdo estudado no dia.

A qualidade do sono influencia toda a nossa vida. Geralmente a sonolência excessiva durante o dia é reflexo de uma noite maldormida, por isso é essencial tomar medidas que garantam a qualidade desse sono, caso o contrário, os estudos estão correndo um sério risco de serem prejudicados. “Sem respeitar o período de descanso não vai adiantar nada estudar horas, dias e meses, pois o cérebro não irá absorver o conteúdo necessário para se fazer uma boa prova”, enfatiza Beatriz.

Veja algumas dicas auxiliadoras, dadas pela especialista, para espantar o sono e aproveitar horas a mais de estudo sem prejudicar a saúde:
– Atividade física é uma excelente recomendação para vestibulandos, pois ajuda a liberar energia e equilibrar o organismo, porém se esses exercícios forem praticados no período noturno, ao invés de benéficos eles se tornarão um dos agentes causadores do mau sono.

– Dê uma atenção especial para o travesseiro e colchão. A escolha acertada fará toda a diferença para uma noite calma e tranquila.

– Televisão, computadores, celulares e aparelhos do gênero não devem estar ligados ou serem usados na hora de dormir e principalmente no quarto. Eles estimulam o cérebro a manter a atenção, dificultando que você durma.  Pois, emitem muita luz para os olhos e reduzem a melatonina, hormônio essencial para o sono.

– Alguns outros vilões são as dormidas na parte da tarde, bebidas alcoólicas, festas, ansiedade, estresse.

– O sono deve estar no seu cronograma diário, assim como qualquer outra atividade. Exemplo: período da manhã escola, 12h almoçar, 15h estudar português, 22h dormir. Criando uma rotina fica mais fácil não extrapolar nos estudos e colocar tudo a perder.

– Nesta lista é importante constar todas as atividades diárias, e ir ticando tudo que já foi realizado. Dessa forma quando deitar estará com a consciência tranquila de que cumpriu a meta do dia e não ficará perdendo tempo na cama pensando: “será que faltou alguma coisa?

Após uma noite maldormida podemos sentir que estamos mais lentos e com dificuldade de raciocínio. A memória, às vezes, falha e o rendimento cai. Há dificuldade de absorver as novas informações com facilidade. É como um computador lento. “O grave débito de sono reduz o período de concentração, prejudica a memória e a capacidade de expressão, perturba o raciocínio analítico e diminui a criatividade”, completa Beatriz. Por esses motivos é fundamental dedicar uma atenção mais que especial para a hora de dormir, principalmente nessa etapa da vida.

Deixe um comentário

*