Mooca  – Escola bilingue é reformada  com ajuda da iniciativa privada

Mooca – Escola bilingue é reformada com ajuda da iniciativa privada

A Prefeitura entregou no dia 5, a reforma da Escola Municipal de Educação Bilíngue para Surdos (EMEBS) Neusa Bassetto, na Mooca. A unidade de ensino recebeu a visita surpresa do prefeito João Doria e do vice-prefeito Bruno Covas no dia 10 de fevereiro. Na ocasião, eles constataram problemas estruturais e a necessidade de reparos imediatos para o atendimento aos alunos.

“Fiquei muito sensibilizado quando conheci a escola. Era um dia chuvoso e havia uma sala interditada com goteiras e outra parcialmente interditada, o que impedia as crianças de terem aulas. Solicitei ajuda da iniciativa privada, que prontamente atendeu nosso pedido num período de seis semanas em benefício dos alunos”, disse o prefeito João Doria durante a cerimônia de entrega.

A reforma e manutenção foram realizadas, sem contrapartida para o município, pela Setin Incorporadora, que identificou problemas como infiltração no teto, pintura desgastada, armários das salas quebrados e brinquedos interditados. No telhado, para evitar vazamentos e infiltrações, foi aplicado primer nas áreas de captação da água, instalada manta asfáltica nas juntas de dilatações da estrutura e usada manta alumínica na vedação das telhas, além da instalação de rufos e ralos semi-hemisférico para evitar entupimento causado pelas folhas das árvores.

A pintura de toda a unidade foi refeita com tintas especiais para cada área. Os armários quebrados foram substituídos nas salas e no hall de entrada. O paisagismo no canteiro central, jardins laterais e jardim da entrada foram refeitos com a colocação de grama, ornamentação com vasos de plantas e pedrisco do caminho.

COMUNICAÇÃO VISUAL

Os brinquedos de madeira do playground passaram por conserto e revitalização, assim como as paredes e bancos de concreto. A reforma incluiu a elaboração da comunicação visual nos halls e na fachada, com desenhos artísticos no muro de entrada e na fachada do prédio. Telas nas grelhas do térreo foram instaladas para evitar quedas de objetos.

“Os alunos ficaram empolgados com a visita do prefeito e eles mesmos passaram a sinalizar os problemas da escola, reivindicando melhorias”, comenta Aurelisa de Carvalho, diretora da unidade. Camila Nunes da Silva, 15, aluna do nono ano, disse, por meio da Libras, estar satisfeita com a reforma. “Antes a escola estava toda quebrada, não tinha uma sensação boa aqui dentro. Agora ela está bonita, mas precisamos continuar lutando por suas melhorias.”

ESTRUTURA

A EMEBS Neusa Bassetto é térrea, ocupa uma área construída de 634 m² e área externa de 2.471 m². A unidade é composta por dois playgrounds, quadra coberta, sala de leitura, laboratório de informática, sala de projeto, 11 salas de aula, uma sala de arte, minhocário e áreas administrativas.

É uma das seis escolas bilíngues da rede municipal de ensino de São Paulo e presta atendimento educacional a 179 alunos, tanto surdos como surdos com múltipla deficiência, que estejam cursando Educação Infantil e Ensino Fundamental. A unidade foi fundada há 28 anos, em novembro de 1988, e conta com 52 funcionários, sendo 32 professores. Todos os professores são habilitados para a educação de pessoas com deficiência auditiva.

A escola bilíngue usa como língua principal a Libras (Língua Brasileira de Sinais), por meio da qual são explorados os conteúdos dos diferentes componentes curriculares. A Língua Portuguesa é ensinada como segunda língua, nas modalidades de leitura e de escrita. A Libras é adquirida naturalmente, através da interação dos alunos surdos com usuários fluentes da língua de sinais, desde o ingresso do aluno na Educação Infantil.

Deixe um comentário

*