Os pets e a idade

Os pets e a idade

Pelos brancos no focinho e na cabeça, menos energia para brincadeiras e exercícios e olhos mais secos são sinais de que o seu cão ou gato está ficando velho.

Em casos de problemas ortopédicos, vale colocar tapetes emborrachados que evitem que o pet escorregue e para que ele se levante com facilidade. “O uso de escadinhas adaptadas para que subam, por exemplo, no sofá ou na cama, também ajuda nas limitações da idade”, comenta Karin Botteon, médica-veterinária.

Outro fator é deixar água disponível em vários locais da casa. Isso porque animais com doenças renais, por exemplo, têm uma necessidade de se hidratar com mais frequência e também porque muitos deles deixam de se deslocar até os potes de água por dor ao se levantar ou para locomoção. E se você tem um gatinho, a recomendação é que você adapte a caixa de areia. As bordas dela devem ser mais baixas para que não seja um obstáculo caso o bichano tenha algum problema ortopédico.

Doença comuns nesta fase: renal crônica, osteoartrite, câncer, doença periodontal, cardiopatia e doenças endócrinas como diabetes mellitus, hiperadrenocorticismo, hipotireoidismo em cães e o hipertireoidismo nos gatos.

Outra alteração comum em felinos é a mudança da pelagem. Como os gatos mantêm a higiene do pelo como hábito regular, a presença de um pelo eriçado, mal cuidado e seco, pode significar falta deste hábito e também merece uma investigação mais profunda.

O acompanhamento veterinário periódico com o objetivo de examinar o animal e coletar exames de rotina é fundamental. Nestes exames, o profissional conseguirá avaliar a saúde do animal e em caso de alterações, consegue ter um diagnóstico precoce, o que ajuda muito em todas as doenças.

Deixe um comentário

*