Paralelepípedos dominam quadrilátero no Tatuapé

Paralelepípedos dominam quadrilátero no Tatuapé

Nesta edição a Gazeta do Tatuapé volta a falar das condições de algumas ruas do bairro. Neste caso, elas ainda são compostas de paralelepípedo. A começar pela Rua Tijuco Preto. Na altura do número 1.644, a valeta é totalmente inadequada para o logradouro. É comum ver os carros rasparem a carroceria ao passar pelo local. A via, entre as ruas Francisco Marengo e Monte Serrat, não conta com asfalto. Após sim.

Na Rua Professora Sebastiana Silva Minhoto a situação não é muito diferente do endereço anterior, assim como na Rua Professora Maria F. de Castilho. No primeiro e no segundo endereços toda a extensão consiste em uma mescla de asfalto e paralelepípedo, e suas valetas são todas inacessíveis, inclusive algumas têm buracos. Ou seja, prejudicando ainda mais a acessibilidade.

Foto mostra bem a diferença entre o asfalto e os paralelepípedos com as péssimas condições da valeta

Foto mostra bem a diferença entre o asfalto e os paralelepípedos com as péssimas condições da valeta

Rua Professora Sebastiana Silva Minhoto com Rua Platina, no Tatuapé

Rua Professora Sebastiana Silva Minhoto com Rua Platina, no Tatuapé

Um fato curioso pode ser observado na Rua Padre Estevão Pernet, no seu cruzamento com a Rua Professora Sebastiana Silva Minhoto. Dá para ver direitinho os paralelepípedos que ficaram sem a camada de asfalto, quando uma ação de recapeamento percorreu a Rua Padre Estevão Pernet. A Rua Garimpos também tem as mesmas características, assim como o entorno da Praça Heitor Levi.

Outro exemplo que faz as pessoas pensarem sobre a logística aplicada na hora de realizar um serviço pela Prefeitura, pode ser visto na Rua Platina, ao cruzar a Rua Professora Sebastiana Silva Minhoto. O primeiro endereço recebeu a benfeitoria do recapeamento, que passou por cima do paralelepípedo do segundo, que voltou a ser de paralelepípedo até a Avenida Radial Leste. 

Deixe um comentário

*