Por um Tatuapé mais arborizado

Por um Tatuapé mais arborizado

A reportagem desta Gazeta chegou a enaltecer este ano alguns calçamentos acessíveis e arborizados. A falta de verde é um dos grandes desafios da cidade a serem vencidos e a Zona Leste está entre as regiões que mais carecem de ruas arborizadas. Bacana seria poder andar em calçadas acessíveis para crianças, jovens, adultos, idosos e portadores de necessidades especiais e ainda com um clima mais saudável. Mas na maioria das vezes as pessoas encontram pelo caminho desníveis, imperfeições, pisos escorregadios e obstáculos que acabam comprometendo a acessibilidade e principalmente a segurança de todos. E, nos dias de calor intenso, nenhuma sombra para se refrescar.

A Rua Itapeti também tem espécies que deixam o logradouro mais atraente

A Rua Itapeti também tem espécies que deixam o logradouro mais atraente

Árvore na Rua Serra de Jurea na altura do número 866: lindo de se ver

Árvore na Rua Serra de Jurea na altura do número 866: lindo de se ver

Árvores embelezam trecho na Rua Professor Pedreira de Freitas

Árvores embelezam trecho na Rua Professor Pedreira de Freitas

Além de mostrar os problemas, é importante também destacar o que é bom. Mesmo porque o que vem dando certo para uns pode servir de exemplo para outros. Os endereços enaltecidos na ocasião foram os passeios na Rua Azevedo Soares, entre as ruas Boa Esperança e Edmundo Xavier; na Rua Boa Esperança, entre as ruas José Tabacow e Cantagalo; e na Rua Cantagalo, entre as ruas Boa Esperança e Sete de Outubro, sendo que nesta última tem até uma jaqueira que todos os anos dá seus frutos.

Agora este semanário destaca algumas espécies arbóreas que dão mais vida aos logradouros do Tatuapé com a sua beleza natural e aquela ajudinha nos dias mais quentes do ano. Entre os endereços estão trechos das ruas Serra de Jurea, Itapeti e Professor Pedreira de Freitas. Algumas chegam a ter copas que encobrem a rua, formando um verdadeiro túnel natural. Além destes exemplos, o bairro tem outros endereços com estas características.

A ideia é mostrar mais destas espécies ao longo deste semestre para servir de estímulo às subprefeituras da Mooca e Aricanduva/Formosa/Carrão. Que elas apostem muito mais no plantio de novas árvores e também em cuidados para que elas não venham a cair por algum tipo de doença, poda malfeita ou por estarem infestadas de cupim.

Deixe um comentário

*