REIVINDICAÇÕES – Conseg volta com força

REIVINDICAÇÕES – Conseg volta com força

Moradores que foram à reunião do Conseg do Parque São Jorge levaram novas e antigas reivindicações aos representantes da Prefeitura Regional Mooca e da GCM (Guarda Civil Metropolitana).

Antonio Batista, por exemplo, destacou a falta de limpeza e de manutenção em diversos pontos do bairro. Para conter o problema, ele pediu a presença do Projeto Cidade Linda na região. Rogério Martins Félix fez questão de lembrar das demandas apresentadas durante a audiência pública organizada pelo ex-vereador Adolfo Quintas e pela vereadora Edir Sales. Ele ressaltou que todos os pedidos registrados em um documento seriam entregues ao prefeito regional.

CELSO GARCIA

Elci Biondillo fez questão de retratar a péssima situação do asfalto e das calçadas da Avenida Celso Garcia. Conforme ela, em determinado locais é impossível descer do ônibus, tamanha é a quantidade de buracos e desníveis no piso. “São tantos calombos que é arriscado o passageiro torcer o pé e cair. Além das ondulações causadas no asfalto, pelo peso dos ônibus, há diversas crateras espalhadas pela avenida. Com relação aos passeios, existem bocas de lobo sem tampa, buracos, trechos de concreto quebrados e desníveis provocados por raízes de árvores”, enumerou a moradora.

O inspetor Marcelo, da GCM, disse que inspetoria está no Bom Parto, sete dias, 24 horas

O inspetor Marcelo, da GCM, disse que inspetoria está no Bom Parto, sete dias, 24 horas

Paulo Henrique, da Prefeitura Regional Mooca, anotou as reclamações do Parque São Jorge

Paulo Henrique, da Prefeitura Regional Mooca, anotou as reclamações do Parque São Jorge

UNIVERSIDADES

Euci também frisou ser um absurdo o bairro ser tratado desta forma. “Afinal, há uma grande população de idosos que costuma frequentar o clube da região, as universidades e o shopping existente próximo à estação Tatuapé do Metrô”, completou. O morador Alexandre Nayme direcionou três pedidos. O primeiro dizia respeito a um buraco na Rua Heitor Bariani, 105. Já o segundo, pedia uma poda de árvore na mesma rua, no número 233. Por último, ele questionou o fato do acesso da Avenida Salim Farah Maluf para a Avenida Radial Leste, sentido centro, ter sido fechado.

FAIXAS DE TRÂNSITO

Aproveitando a questão ligada ao trânsito, apesar do agente da CET não ter comparecido, Wismar Rabelo reclamou da atitude dos “marronzinhos” de continuarem multando na Marginal do Tietê, na altura do número 2.000. Além disso, ele pediu a repintura das faixas de trânsito nas entradas dos viadutos Azevedo e Bresser. Rabelo também cobrou a melhora na iluminação dos dois locais, pois existe o risco de acidentes. Para os pedestres, ele sugeriu a implantação de um semáforo na Rua Jacirendi, esquina com a Rua Ulisses Cruz.

Mário Bergmanhs voltou a pedir a colaboração da Prefeitura e do Metrô para retirar uma grande quantidade de ambulantes que ficam parados na plataforma da estação Tatuapé. Ele salientou que, dependendo do horário, não dá para andar.

O OUTRO LADO

Paulo Henrique, da Prefeitura Regional Mooca, afirmou que estava à disposição dos moradores e que todas as reclamações referentes à administração haviam sido anotadas e seriam entregues aos departamentos responsáveis. Segundo ele, o prefeito regional Paulo Sérgio Criscuolo só não tinha marcado presença no Conseg por conta de outra reunião.

O inspetor Marcelo, da GCM, reforçou a informação de que a inspetoria Mooca está no Largo do Bom Parto. Ele colocou os serviços do órgão à disposição durante 24 horas, sete dias da semana. O inspetor também se propôs a participar de ações conjuntas contra os camelôs.
Para o capitão Edson Serra, comandante da 2ª Cia. do 8º Batalhão da PM, a volta da Operação Delegada deverá diminuir vários problemas relativos a ambulantes e comércios irregulares. Mas, para o seu retorno, é necessário que o Conseg pressione a Prefeitura.

Deixe um comentário

*