RUA DULCE – Perigo de acidente é constante

RUA DULCE – Perigo de acidente é constante

Moradores do Carrão e bairros próximos estão desanimados com a falta de fiscalização na Rua Dulce, na altura da Rua Engenheiro Pegado. Segundo eles, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) já foi comunicada várias vezes sobre os abusos cometidos por motoristas que passam pelo local em alta velocidade. Vizinhos, como Daniel Félix, disseram que há anos as pessoas esperam por rotatórias ou pela reconstrução das valetas que antes existiam nos cruzamentos.

PISTA DE CORRIDA

Segundo o morador, a Secretaria de Coordenação das Subprefeituras providenciou o recapeamento do asfalto da Rua Dulce, que era uma reivindicação antiga. No entanto, o novo piso encobriu os redutores de velocidade. Na sequência, a CET refez a sinalização e abriu a via para o tráfego. “Como a mesma possui quase 600 metros de pista em linha reta e sem semáforos, alguns condutores simplesmente não freiam. No entanto, sempre encontram outros que agem da mesma maneira e causam diversos acidentes”, explicou.

BATIDAS

Félix lembrou que apesar do cruzamento da Engenheiro Pegado ser uma referência, ele não torna os outros menos perigosos. “Apenas na semana passada, quatro veículos se envolveram em dois acidentes por conta do trajeto ser muito livre. Os estudos no local precisam ser retomados e a Prefeitura necessita reavaliar o trânsito para evitar novas batidas”, sugeriu o morador.

INSEGURANÇA

Pedestres também se queixam de não conseguir atravessar a rua em determinados horários. Eles revelam ficar à mercê de veículos em alta velocidade, da falta de segurança ao atravessar a rua e de uma sinalização coerente com o aumento da quantidade de carros circulando no bairro.

DISCUSSÕES

A falta de vagas para “estacionar” na rua também gera mais confusão. Algumas pessoas disputam o espaço como se fossem atender a algum tipo de emergência. Moradores afirmam que elas têm de parar naquele lugar, naquela hora e os outros precisam esperar, causando uma série de discussões sem sentido e em horários inapropriados.

FILA DUPLA

Assim, os motoristas desobedecem as placas de proibido estacionar, param em fila dupla, ultrapassam o farol vermelho e não dão vez a quem quer atravessar.

Como a Engenheiro Pegado também serve de rota de fuga para quem não quer ficar preso no congestionamento da Avenida Conselheiro Carrão, os condutores vão atravessando os cruzamentos sem olhar. Resultado: freadas bruscas, brigas, carros destruídos e pessoas machucadas.

Deixe um comentário

*