Sabesp quer combater ‘gatos’ na rede

Sabesp quer combater ‘gatos’ na rede

A Darwin Engenharia foi contratada pela Sabesp para a prestação de serviço de redução de perdas por meio de ações de regularização de ligações de água e recuperação de clientes por abastecimento de Unidade de Gerenciamento Regional (UGR) Itaquera – Unidade de Negócio Leste. A empresa deverá atuar nas regiões de Cidade AE Carvalho e Itaquera. Uma placa do governo do Estado foi colocada na Rua Boipeva.

A obra, que a princípio terá um investimento de R$ 6.043.715,00, deveria ter sido iniciada em 8 de maio, com prazo para término de 48 meses. No entanto, durante a presença da reportagem no local, não havia máquinas ou homens trabalhando.

Para tentar obter mais explicações sobre os dados registrados na placa, esta Gazeta entrou em contato com a assessoria da Sabesp. A ela foi questionado sobre o motivo da contratação do serviço de redução de perdas e sobre o quanto de perda foi detectado no entorno em metros cúbicos. Além disso, a reportagem indagou se os clientes também seriam responsabilizados e se a rua e a calçada seriam quebradas para a detecção do problema. Por fim, foi perguntado se a Sabesp ou a Darwin ficaria responsável pelo conserto do piso.

O OUTRO LADO

A Sabesp informou que a presença da Darwin na região está relacionada ao “Programa Água Legal”, que pretende evitar a perda de 3,3 bilhões de litros em ligações clandestinas. O objetivo é regularizar o fornecimento de água para 160 mil imóveis em áreas informais. Em Itaquera, os serviços foram iniciados em maio deste ano em diversas comunidades, como a Cosmopolita, Coqueiros, Chubei Takagachi, Jardim Marabá, Freguesia dos Poiares e Guichi Shiqueta. Conforme a concessionária, a estimativa é que sejam recuperados cerca de 60 milhões de litros de água por mês apenas na região.

Com o investimento de R$ 162 milhões até o ano que vem, o “Água Legal” vai instalar ligações oficiais em áreas informais na capital e na Grande São Paulo. Conforme a empresa de saneamento, as famílias beneficiadas deixam de ser abastecidas por “gatos” – tubos espalhados pelas ruas, cheios de furos, expostos ao sol e à passagem de veículos, animais e pessoas por cima deles.

O programa conscientiza as famílias, visitando de porta em porta para explicar aos moradores os benefícios da ligação oficial de água e da implantação das novas tubulações, conversa nas escolas com orientações sobre o uso racional da água e emite a nova conta, que será o comprovante de endereço. A estimativa é que 3,3 bilhões de litros deixem de ser desperdiçados a cada mês.

Todos os clientes residenciais que forem conectados na operação serão incluídos na tarifa social – que hoje é de R$ 7,59 para residências que consumam até 10 mil litros por mês, ou 33% da tarifa normal. Levantamento do Instituto Trata Brasil aponta que 37% da água que é tratada no País acaba desperdiçada na distribuição.

A contratada instala as redes, ligações, caixas de medição e hidrômetros, mas só recebe da Sabesp quando os moradores se conectam – passando então a evitar a perda de água tratada. Quanto maior o número de domicílios ligados, mais alto é o volume de água recuperado.

A empresa também é responsável por realizar atividades socioeducativas com a comunidade. Para isso, são utilizadas vans com equipes da própria comunidade, gerando renda, além de jogos interativos de educação ambiental e parcerias com as escolas para colocar o tema perdas em discussão.

Deixe um comentário

*