Segundo Doria,  cidade conta com 25 mil moradores de rua

Segundo Doria, cidade conta com 25 mil moradores de rua

Durante a entrevista coletiva no Centro Temporário de Acolhimento (CTA) inaugurado na semana passada na Avenida Rio das Pedras, 2,421, na Zona Leste, o prefeito João Doria disse que a unidade será referência para as demais.  Serão 16, sendo 14  instaladas até o dia 31 de dezembro, deste ano.

“Quanto mais rápido tivermos CTAs montados, mais rápido as pessoas serão empregadas através do projeto Trabalho Novo. Como será: as pessoas que estiverem aqui passam para a atividade do emprego, outras virão, e assim sucessivamente. A ideia é não criar dependentes do setor público, mas sim a oportunidade de trabalho, e que estas pessoas tenham cidadania”, destacou Doria. As pessoas com deficiências também são acolhidas.

Centro Temporário de Acolhimento oferece alojamento feminino separado do masculino

Centro Temporário de Acolhimento oferece alojamento feminino separado do masculino

COMO ENTRAR

As pessoas chegam ao centro de acolhimento através de abordagens. “Os assistentes sociais da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, comandada pelo Filipe Sabará, abordam as pessoas que estão em situação de rua e oferecem transporte e as condições para que venham para o centro. Aqui elas encontram o acolhimento necessário, na sequência o treinamento profissionalizante e o emprego. Quase 100% daqueles que são abordados querem o emprego. Eles não querem ficar na rua. São poucos os que preferem a situação da rua. E no projeto Trabalho Novo, um dado surpreendente é que 95% permanecem no emprego, não saem. Eles seguem como bons trabalhadores. São 102 empresas que já empregaram estas pessoas no setor de alimentos, manutenção, limpeza, entre outras áreas, com enorme sucesso”, destacou o prefeito.

SITUAÇÃO DE RUA E DEPENDÊNCIA QUÍMICA

De acordo com Filipe Sabará, 80% da população de rua fazem uso de alguma substância, seja álcool ou droga. “A gente sabe que faz parte da realidade deles, até pela situação em que vivem. As equipes têm a expertise de acolhimento de pessoas com dependência também. Por isso o trabalho é muito importante. Oitenta por centro das pessoas deixam de usar quando têm uma oportunidade e um propósito na vida”.

Doria ainda acrescentou que quando a pessoa for dependente do crack, ela irá para o Atende. São três unidades no centro da cidade com médico especializado e psiquiatria.

MORADORES DE RUA NA BRESSER

De acordo com o prefeito, a cidade atualmente conta com 25 mil pessoas em situação de rua. “Quando assumimos eram 16 mil. Com o aumento do desemprego este número foi crescendo até chegar a 25 mil. Nós estamos trabalhando, mas temos que reconhecer que não temos capacidade para abrigar todas as pessoas simultaneamente. Seria muito bom se pudéssemos. Estamos gradualmente fazendo este trabalho. Com as quatro mil vagas que teremos até o final do ano operando, nós seremos capazes de atender 12 mil pessoas, ou seja, metade desta população, já no primeiro ano. No segundo, esperamos avançar e, quem sabe, chegar às 25 mil. O importante é que estamos fazendo um trabalho que está dando resultado. Temos depoimentos emocionantes de empregados e empregadores, que viram as pessoas antes em profunda degradação e que, recuperadas pelo trabalho psicológico e também pela oração, que ajuda muito, estão em uma nova vida.”

A IMPORTÂNCIA DOS CÃES

Doria ainda enfatizou que o animal muitas vezes é o único amigo que uma pessoa em situação de rua tem. “Quase todos são solitários. É muito difícil esta pessoa ter família, ou ser um casal em situação de rua. São poucos. Se você oferece a condição de abrigar também o cão, a pessoa vem para o CTA. E vem feliz, porque ela quer estar ao lado do seu cão. E para nós isso é bom. A maioria das pessoas que tem um cão não consome droga. Quando muito, um pouco de álcool”, finalizou.

Deixe um comentário

*