Seus olhos e a atividade física

Seus olhos e a atividade física

Para chamar a atenção à prática de atividade física como um hábito saudável, o oftalmologista Mário Jampaulo, especialista em cirurgia refrativa, aborda a questão com dicas importantes. “Aos adeptos das atividades físicas ao ar livre, é importante lembrar que para manter a boa forma é preciso associar hábitos saudáveis que vão além da atenção com os músculos. Os olhos são órgãos importantes neste conceito”, frisa o oftalmologista.

Ele orienta que precisamos aprender a conviver de forma saudável também com os raios ultravioletas (UV), a seca, a poeira e a fumaça de automóveis e queimadas e proteger os olhos inclusive nos dias nublados.

RAIOS UV
A escala meteorológica do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostra que, muitas vezes, no mesmo dia, a incidência de raios UV no Brasil, na mesma localidade, varia de moderada a extrema.

OLHOS
Grande parte da população ainda preocupa-se com a ação dos raios UV sobre a pele, o cabelo, mas não está atenta aos efeitos de médio e longo prazos que o sol exerce sobre os olhos também.

Os efeitos dos raios solares são nocivos aos olhos e a proteção é fundamental para evitar, catarata precoce, pterígio e lesão da mácula na retina, alertam os oftalmologistas.

SEM ESFORÇO
Os cuidados com os olhos, não requerem esforços, apenas atenção e novos hábitos para alguns. É importante, segundo Jampaulo, observar se a lente dos óculos possui a indicação de filtro. Os melhores óculos são os que apresentam um filtro com 100% de proteção contra a radiação UVA e UVB.

“Acontece que quando usamos óculos escuros a pupila abre-se e é maior a quantidade de luz que penetra nos olhos. Se as lentes escuras são desprovidas de filtro UVA e UVB, os neurônios da mácula – área da retina responsável pela visão central – sofrem danos irreversíveis”, explica o médico.

Pesquisas constatam que 25% da população com mais de 75 anos de idade apresenta algum grau de degeneração macular. “A consequência da incidência dos raios UV nos olhos aparece em longo prazo”, adverte.

EFEITOS
Os problemas visuais que podem surgir ou ser acelerados por falta de proteção aos olhos diante da intensidade da luz e do nível de radiação solar quando estamos ao ar livre se manifestam como catarata precoce que caracteriza-se pela opacificação do cristalino (lente natural do olho) antes dos 40 anos de idade. O único tratamento existente é a cirurgia de substituição do cristalino por uma lente intraocular. O normal é que a catarata se manifeste a partir dos 50 anos de idade.

Um outro efeito é o pterígio que aparece como um tecido que se desenvolve sobre a córnea e deixa a visão borrada. O paciente fica com a sensação permanente da existência de um corpo estranho nos olhos. Está diretamente relacionado à exposição dos olhos aos raios solares. O tratamento também é cirúrgico.

A lesão da mácula nesses casos pode ser consequência de uma queimadura pela exposição em ambiente extremamente claro. A mácula é a parte mais sensível da retina, é onde se forma a visão central, responsável pela percepção do detalhe nas imagens que chegam ao cérebro.

Deixe um comentário

*