Sódio, o vilão da pressão arterial

Sódio, o vilão da pressão arterial

O consumo excessivo de sal é um dos principais causadores da hipertensão arterial, além de contribuir diretamente para o desenvolvimento de outras doenças crônicas não transmissíveis, como doenças cardiovasculares e renais.

Uma pesquisa internacional denominada Burden of Diseases Study detectou que 75% da população mundial consome 4 gramas de sal por dia, o dobro recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de até 2 gramas diários. O estudo foi feito por 488 cientistas de 303 instituições em 50 países, entre 1990 e 2010.

Segundo o endocrinologista, Mauro Scharf, este excesso vem, principalmente, dos alimentos processados. “Eles contêm sal na forma do seu princípio ativo: o sódio”, diz o especialista.

ACIMA DOS VALORES
O médico explica que a hipertensão arterial acontece quando os níveis da pressão estão acima de valores de referência para a população geral. Apesar do valor normal de pressão arterial ser de 120×80 mmHg, considera- se alteração de pressão apenas quando os valores forem superiores a 140×90 mmHg. No caso das crianças, os valores variam de idade para idade e são sempre mais baixos do que a referência nos adultos. “Há muitas

crianças hipertensas, pois o problema não é uma exclusividade dos adultos”, ressalta o médico.
Qualquer indivíduo pode apresentar esporadicamente níveis de pressão arterial altos sem que seja considerado hipertenso. “Somente a manutenção dos níveis permanentemente altos em múltiplas medições, em diferentes horários, em várias posições e condições (repouso, sentado ou deitado) caracteriza a hipertensão arterial. A medida da pressão arterial deve ser realizada apenas com aparelhos confiáveis”, afirma Scharf.

DICAS
Algumas dicas simples podem ser bastante úteis para conseguir reduzir o sal. São elas:
1) Retirar o saleiro da mesa;
2) Controlar o uso do sal no cozimento;
3) Preferir sempre alimentos frescos;
4) Substituir o sal por temperos e ervas frescas ou secas (como alho, cebola, salsa e pimenta vermelha fresca, por exemplo);
5) Evitar os temperos prontos;
6) Temperar a salada de outras formas (com azeite de oliva, limão, vinagre, vinagre balsâmico e ervas, por exemplo);
7) Evitar sopas prontas e embutidos, assim como conservas salgadas, salgadinhos, frios salgados e queijos gordos.

Outra dica do médico é ler sempre o rótulo dos alimentos. “Procure escolher as versões com pouco sódio”, enfatiza Scharf.

O médico também sugere que se consuma adoçantes como estévia, sucralose, frutose e aspartame, já que os mais comuns têm sódio. Para as comidas enlatadas, como milho e palmito em conserva, a dica é remover o excesso de sal deixando-as de molho em água fresca por uma hora.

Deixe um comentário

*