Subprefeito vai ao Conseg

Subprefeito vai ao Conseg

As conquistas dos moradores do Parque São Jorge estão se concretizando de maneira paulatina. De abril para cá, quando o Conseg conquistou o direito de realizar uma audiência pública, vários órgãos da Prefeitura e do Estado começaram a se mobilizar para atender às demandas expostas no encontro. Com o apoio do Ministério Público e da Câmara Municipal, representada na audiência pelos vereadores Adolfo Quintas e Edir Sales, quem reside na região começa a ver alguns resultados das reivindicações.

PARTICIPANTES

Entre eles está a “Mega Ação Bairro Limpo – Tatuapé e Parque São Jorge”, organizada pela Subprefeitura Mooca e que ocorreu nos dias 11, 12 e 13 de julho. Os serviços de zeladoria e obras reuniram funcionários da subprefeitura, da Secretaria de Serviços, da Coordenação das Subprefeituras, da Inova e da Superintendência das Usinas de Asfalto (SPUA). Outro avanço foi que, só neste ano, os moradores já conseguiram receber a visita do subprefeito duas vezes no Conseg. A mais recente foi no dia 11 de julho, quando Evando Reis foi explicar como funcionaria a ação.

MEGA AÇÃO

Para começar, o subprefeito afirmou que a Mega Ação recebeu recursos similares aos do programa “Prefeitura no Bairro”, com todas as instâncias participando, acompanhadas de homens, equipamentos, caminhões, máquinas e serviços capazes de promover uma renovação no Parque São Jorge. “Além do Ilume, que está analisando todos os pedidos, a subprefeitura programou a limpeza de bueiros, bocas de lobo, calçadas e ruas. Durante o trabalho foram retiradas várias toneladas de lixo e entulho da região. Inclusive mais de 120 multas foram lavradas por conta do descarte irregular”, explicou.

R$ 2 BILHÕES

Reis disse que cerca de 90 ruas foram mapeadas pela subprefeitura para receber os serviços. Conforme o subprefeito, caso haja endereços que não estavam na planilha, os mesmos poderão ser atendidos depois. “Apesar do atendimento estar sendo oferecido, a população precisa colaborar não jogando lixo nas ruas. É um absurdo que a Prefeitura tenha de gastar R$ 2 bilhões por ano só para recolher os mais variados tipos de materiais de calçamentos, córregos e terrenos”, completou.

ÁRVORES

Sobre as podas de árvores, ele esclareceu que para obter o serviço não é tão fácil quanto parece. “O requisitante faz o pedido, que chega ao agrônomo. Daí ele programa a vistoria no local e prepara um laudo para definir a ação. A remoção só ocorre quando a espécie está condenada e a poda deve estar relacionada a algum tipo de risco. Mesmo assim, em alguns casos, quando os galhos estiverem em meio à rede de eletricidade, a Eletropaulo deve ser comunicada antes do trabalho da Prefeitura”, contou Reis.

VISIBILIDADE

O subprefeito afirmou que, a partir de agora, a região ganhará melhor visibilidade. “A partir de agora, as ações devem ser contínuas, mesmo depois da ação conjunta. Isso porque, além da manutenção, existem outros problemas que provavelmente entrarão no planejamento diário”, salientou. Segundo Reis, a Mega Ação também foi importante para que os funcionários pudessem distribuir folhetos de conscientização ambiental, solicitando à população o cuidado, a observação e o respeito ao bairro. Só assim a região poderá ter um ganho, evitando os descartes desnecessários”, finalizou.

Deixe um comentário

*