TATUAPÉ – Pedestre caminha no escuro

TATUAPÉ – Pedestre caminha no escuro

Mesmo após dois anos de cobranças, a iluminação ainda é precária na Rua Serra de Botucatu, nas proximidades da Rua Monte Serrat, no Tatuapé. Quem trabalha ou mora no local reclama que as novas luminárias colocadas pelo Ilume (Departamento de Iluminação Pública) direcionam os focos de luz para apenas um dos lados da via. “Dá medo de ir caminhando sozinha até a estação Carrão do Metrô”, disse Valquiria dos Santos, ao lembrar de ter tido o celular levado por um ladrão.

LÂMPADA LED

Para alguns passageiros que saem do Metrô, a Prefeitura ainda não encontrou o meio-termo para as iluminações de vapor de sódio, vapor metálico e de LED. As duas primeiras existem em vários locais da cidade e em alguns pontos são utilizadas de maneira alternada por falta de eficiência. A última, de melhor tecnologia, é mais cara e só chegou ao Ceret (Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador), por enquanto.

MEDO DE ANDAR

Valquiria frisou também não se tratar de uma questão urbana, apenas, mas de segurança. “Afinal, os moradores do bairro pagam um dos IPTUs mais caros da cidade”, desabafou. Outra moradora disse que, para sair com os cães, precisa da companhia do marido. “Às vezes tenho vontade de dar uma volta no quarteirão, saindo da Monte Serrat, passando pelas ruas Tijuco Preto e Apucarana, até o ponto de partida, mas não tenho coragem”, explicou.

PERIGO

A funcionária de uma empresa que fica na Rua Serra de Botucatu afirmou ser perigoso caminhar à noite pela calçada da Rua Monte Serrat ao lado do muro do futuro Território CEU Carrão/Tatuapé. Segundo ela, enquanto as obras não tiverem continuidade, a Prefeitura também não investe em poda de árvores ou de mato. Isso porque as espécies existentes no clube bloqueiam a passagem da luz. Para ela, uma iluminação de melhor qualidade evitaria tantas ocorrências de furtos contra pedestres.

ESTUDANTES

A mesma preocupação também aflige estudantes de uma escola técnica do bairro. As turmas do ensino noturno precisam andar em turmas quando vão em direção à estação Carrão. Isso porque eles têm medo que lhes sejam roubados os celulares, mochilas, entre outros objetos pessoais. Por esse motivo os alunos solicitam mais investimentos nas áreas de zeladoria e iluminação LED. Outra opção também seria a implantação do modelo pedonal, no qual as luminárias ficam mais baixas, iluminando diretamente as calçadas. O projeto começou a ser instroduzido no Tatuapé, porém não teve continuidade. Agora, com a demora na retomada das obras do Território CEU, os estudantes terão de contar com a ajuda da Polícia Militar.

Deixe um comentário

*