Zeladoria:  serviço está em xeque?

Zeladoria: serviço está em xeque?

A redação desta Gazeta tem recebido diversas reclamações quanto à demora na resolução de muitos problemas relacionados à zeladoria. Neste sentido, os buracos lideram. Os leitores também se queixam quanto à limpeza. De acordo com muito deles, a impressão que se tem é que o bairro está abandonado.

Sensação esta que ganha reforço com a falta de manutenção de muitas praças e com as inúmeras lixeiras quebradas encontradas pelo caminho. Há ainda ruas sem a iluminação adequada, as vias que precisam ser recapeadas e as placas que indicam logradouros danificadas.

Moradores do Tatuapé têm a impressão de que o bairro está abandonado

Para entender o que de fato está acontecendo, a reportagem entrou em contato com a Secretaria Municipal das Prefeituras Regionais. A pasta esclareceu primeiramente que assumiu a gestão com uma “demanda represada” de 589.026 solicitações pelo serviço 156 e aplicativo – que não haviam sido atendidas ainda na gestão passada. Desse total, a grande maioria (457.864) deve-se a demandas de zeladoria na cidade.

“Além disso, o governo herdou, junto com essas demandas, buracos orçamentários na ordem de R$ 7,5 bilhões que inviabilizam, dentre outros serviços, o atendimento aos pedidos do 156 na velocidade adequada. A secretaria enfatiza ainda que projetos como o Adote uma Praça, que permite que pessoas físicas ou empresas conservem áreas verdes, além do Cidade Linda, Mutirão Calçada Nova e o Programa Asfalto Novo, já mostram que a nova gestão se empenha ao extremo para que a efetividade seja percebida por toda a população.”

Também foi destacado que os pedidos realizados pelos munícipes via sistema de atendimento do 156 servem como referencial para atendimento das demandas, pois uma solicitação para que um buraco seja tapado, por exemplo, pode ser incluída no sistema mais de uma vez e por diversos munícipes. O que não significa que os serviços não foram realizados.

Deixe um comentário

*